9 de junho de 2016

O destruidor de ídolos

Esperançosos Tricolores,


         E mais um ídolo nos deixa, desta vez o jogador mais emblemático do Fluminense no século e certamente consolidado como um dos maiores expoentes da nossa história, sendo o principal para grande parte dos nossos torcedores que ainda não chegaram aos 30 anos de idade.


        Inacreditavelmente, Fred ruma para o nosso maior rival recente fora do estado do Rio de Janeiro. Prestes a completar seu sétimo jogo, o centroavante é agora jogador do Atlético-MG, exato, aquele clube que nos acusou de comprar o Brasileiro de 2012, cujo protagonista maior foi exatamente o seu mais novo atleta.


       São muitos rumores sobre os motivos dessa saída, guindados principalmente pelo sabido atrito que Fred teve com o treinador Levir Culpi há cerca de dois meses. O que é fato é que mais uma vez a gestão atual abre mão de um atleta catalisador de torcedores, sempre com a evocação do viés financeiro, agora prismado na construção do Centro de Treinamentos, que diga-se de passagem terá a integralização do seu pagamento sob responsabilidade do próximo presidente, seja ele quem for.


      Outros diversos jogadores também foram negociados sob o pretexto da construção do CT (algo fundamental, evidente), ainda que não existam elementos muito claros de tais contrapartidas. Se considerarmos Conca negociado duas vezes, Wellington Nem, Wagner, Digão, Kenedy, Gérson e outros menos votados, possivelmente Peter Siemsen esteja apenas esperando o final das Olimpíadas para anunciar que o Parque Olímpico e talvez mais alguma instalação recém-construída sejam de propriedade do Fluminense Futebol Clube. A impressão é que caso não houvesse um Pedro Antônio, não haveria sequer esboço de tal obra, ainda que o referido VP não esteja fazendo nada sem um retorno dos valores gastos, de modo atualizado.


       Voltando ao Fred, o clube perde uma grande referência não apenas técnica, mas emocional e já histórica, exatamente no início de um campeonato absolutamente traiçoeiro e cujo nível baixo coloca vários times em patamares muito próximos. Não obstante, cabe lembrar que o Fluminense venceu dois jogos em seis contra adversários que hoje habitam a zona de descenso, justamente por 1x0 e com ambos os gols marcados por Frederico.


        A total imperícia de Peter Siemsen e seus apoiadores em resolver conflitos é impressionante. É raro um atleta, treinador ou mesmo dirigente sair "em paz" com seu antigo chefe. Como alertamos diversas vezes neste espaço, tudo que ocorre na gestão carece de transparência, sempre um amontoado de rumores e informações que não batem, algo ainda mais exponenciado pela atuação de correligionários da situação em redes sociais, onde invariavelmente sempre o culpado é quem saiu, seja quem for.


         Agora choverão números, do tipo que "Fred custaria 456 milhões até 2018", "Fred ganha o equivalente a 626 mil toneladas de cimento", "Fred pediu milhares de vouchers de táxi para parentes da esposa", enfim, sempre uma ladainha sem muita base matemática, mas que serve para validar todo e qualquer ato de gestão, cujos valores intangíveis jamais são corretamente precificados.


         E por fim, o discurso bonito de que "jogador nenhum é maior que o clube". Isto é bastante evidente, mas jogadores desse calibre tornam o clube maior e isso é fundamental para a perenidade de qualquer instituição. Falando em perenidade, cabe lembrar que o reserva que pode assumir a vaga é um atleta de quarenta anos de idade, que já irritava grande parte da torcida aos vinte e três. É torcer muito para dar certo.


          Saudações Tricolores, sempre. A Gestão Siemsen tem data para acabar, prova de que o tempo pode realmente curar qualquer ferida.

Esperança Tricolor

4 comentários:

cidadão de bem disse...

Sobre o Pedro Antônio: " ainda que o referido VP não esteja fazendo nada sem um retorno dos valores gastos, de modo atualizado." Tirar do seu bolso, sem cobrar juros de mercado (apenas os valores atualizados), do seu patrimônio particular para emprestar ao clube para a construçao do CT não é NADA?!!

Desafio qualquer um de vocês a postar aqui algo mais relevante que tenham feito para o clube, que seja maior do que esse empréstimo do Pedro Antônio!

Sobre o EX-JOGADOR EM ATIVIDADE FRED: Um cara cujo amor ao clube sempre teve preço: Salário acima do valor real do seu futebol e direito a ser o manda-chuva do elenco. Fred, com esse futebolzinho estilo "cone 7x1" valeria no máximo uns 300 mil/mês, e no clube recebia quase o triplo disso! Já vai tarde! Seu futebol acabou em 2013. Lembro até hoje dele forçando saída do Flu, deixando o time em segundo plano em prol do seu projeto pessoal Copa do Mundo.

Kleber TheClever disse...

Peter Siemsen vai ser lembrado para sempre!

Melhorou o clube administrativamente!
Devolveu a autonomia ao clube, livrando-nos dos beicinhos de Celso Barros e Fred!
E nos dando 2 títulos: Brasileiro-2012 & Copa da Primeira Liga-2016!

Kleber TheClever disse...

Fred AMA tanto o Fluminense (Ironia) que especula-se que aceitou ganhar 300 mil mensais a menos para fechar com o Atlético-MG!

Agora, conta a do Português, valeu?

CarlosAzambuja disse...

Caros,

Os apologistas da mediocridade: o "novo"-pessoal da piscina, os palpiteiros empresários de "Banco Imobiliário", todos aqueles para quem "O Fluminense hoje não comporta mais um jogador como o Fred", conseguiram… O Fluminense volta à sua medíocre posição, aquela da qual para parte mídia nunca deveria te saído: a disputa para não cair, pra ficar ali entre o sétimo e o quinto lugares. Tudo isso para alegria dos novos "Senhores de engenho" que acham que jogador é um reles "empregado do clube", que tem de se humilde e calado, subserviente sempre.

Conseguiram vender o ídolo das crianças (mais um, pois Conca já tinha ido antes), o cara que ainda colocava o nome do clube na imprensa internacional. Isso tudo para promover Xerém e dar-nos títulos, não é?

Kkkkk. É rir para não chorar: Nem, Gerson, Kennedy, já foram. Marlos e Scarpa muito, muito em breve. Teremos um belo CT povoado de Oswaldos, Giovannis, etc. etc., pois é só "o que podemos" já que se alguém se destacar será logo vendido. Isso porque Peter, este eterno dissimulado, conseguiu mandar Muricy embora em plena disputa de uma Libertadores em 2011; vender Conca duas vezes; acabar abruptamente e sem plano B a parceria com a UNIMED como sempre "cobrou" a mídia que nos queria "no nosso verdadeiro lugar". E, acumulando mediocremente a vice-presidência de futebol, levou-nos a segunda divisão em 2013 depois de mandar Nem, Thiago Neves embora, e, em seguida, Sóbis e meio time. Agora depois de trazer o Levir – talvez contratado para esta "missão" – se desfaz de Fred, antes da hora, no meio da competição. Isso sem contar que traiu a Liga assinando de novo com a Globbels, a mesma que aprontou para cima de nós várias, sendo a última o linchamento implacável no "Affair Portuguesa", no qual o Flamengo era ao mesmo tempo poupado por esta mesma mídia, e do qual saiu ileso.

Como o personagem do Salieri no filme "Amadeus", Peter pode agora comemorar com seu séquito: a mediocridade definitivamente venceu! E junto com Levir agora só terá uma possível salvação: o título, nem mais nem menos. Pois é craque, e não CT, aquilo que ganha títulos, pois se CT ganhasse alguma coisa, o Patético Paranaense estaria sempre no topo das tabelas. Mas não creio que ele se preocupe muito com isso.

Nenhum jogador é maior que o clube, mas dirigente algum também o é.

Dia negro para a história do Fluminense

SDs Tricolores

Postar um comentário