14 de março de 2014

Nesse próximo Post vamos começar falando bem da gestão Peter Siemsen.

Então só podemos falar de sócio futebol, que é uma das poucas coisas boas feitas por ele como presidente do Fluminense.

E o mais importante, para nós, não é a questão financeira ou de marketing, mas sim a democratização do processo eleitoral para presidente do clube, o aumento da base de eleitores.Mas é pouco,Aliás, muito pouco.

Como o sócio futebol não pode ser votado, o universo para montar as chapas não mudará (São 202 sócios proprietários ou contribuintes) e com o agravante de que a proporcionalidade nas urnas não é refletida no Conselho Deliberativo.
E essa falta de proporcionalidade acarreta em ter sempre somente duas chapas, 100% antagônicas,como se fosse “a briga do bem X o mal”. Se houver uma 3ª chapa, será para prejudicar uma das duas, vide a eleição de 2007.

Como nosso foco não é somente em apontar os erros cometidos só por apontar ,aqui está a nossa Proposta:

Que a chapa vencedora tenha no mínimo 60% das cadeiras do Conselho, o segundo lugar 25%
e o terceiro lugar o mínimo de 15%.
Que se Ajustem os percentuais da maneira que quiserem em debate/assembléia, mas a proposta é de refletir melhor a proporcionalidade dos votos, modificando o sistema antidemocrático que temos hoje e que não será alterado somente com o sócio futebol.

Saudações Tricolores



#esperancatricolor

2 comentários:

Thiago Bob Brito disse...

Esse numero de 202 socios proprietarios e contribuintes aptos a serem votados está certo mesmo?

Esperança Tricolor disse...

Boa noite, Thiago e desculpe pela demora na resposta.
Esse é o número de sócios que deve compor a chapa. Então, qualquer chapa que se inscreva deve ter 202 sócios, entre contribuintes e proprietários.

Postar um comentário